Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Política

Operação da PF no norte do Tocantins cumpre mais de 70 mandatos contra políticos

Esquema ligado ao transporte escolar teria desviado R$ 23 milhões dos cofres públicos

Publicado

em

Na manhã desta quinta-feira (19), a Polícia Federal e a Controladoria Geral da União (CGU) cumpre 73 mandados em nove cidades na região norte do Tocantins na ação chamada Operação Catilinárias.

Os agentes tentam desarticular um esquema milionário de corrupção e fraudes em contratos do transporte escolar firmados entre os anos de 2013 e 2018, nas cidades de Araguaína, Araguatins, Babaçulândia, Filadélfia, Goiatins, Nova Olinda, Riachinho, São Bento e Xambioá.

Entre os alvos da operação estão servidores públicos, ex-secretários municipais e ex-prefeitos. Por isso, além dos mandatos de busca e apreensão, a PF cumpre 5 medidas de afastamento da função pública.

Ronaldo Dimas explica que ação é sobre ex-secretários

O ex-prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, emitiu uma nota para dizer que ele não é alvo da ação. Mas seu escritório foi um dos pontos avaliados dos pelos agentes da PF, assim como a Secretaria Municipal da Educação (Semed).

Segundo a nota, a investigação não é sobre ele enquanto prefeito, mas sobre a conduta irregular de servidores da Educação.

Leia na íntegra:

Em relação a operação realizada na manhã desta quinta-feira em Araguaína, esclarecemos que, pelas primeiras informações apuradas, a decisão não aponta qualquer conduta ilegal do ex-prefeito Ronaldo Dimas.

Houve pedido de busca e apreensão de documentos em seu escritório. Os advogados estão acompanhando e colaborando com as autoridades.

Conforme consta na decisão, a investigação se refere a suposta conduta irregular de servidores da Secretaria de Educação entre os anos 2013 e 2018.

Não há nenhuma outra medida cautelar, nem mesmo pedido, contra o ex-prefeito Ronaldo Dimas.

Atenciosamente,

Assessoria de Imprensa de Ronaldo Dimas

PUBLICIDADE