Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Brasil/Mundo

Homem trans que deu à luz denuncia ‘abuso’ por ser chamado de mãe na maternidade

Para ele, a maternidade tem que ser desassociada da mulher

Publicado

em

Um homem trans de 37 anos deu à luz em Los Angeles (Califórnia-EUA) e agora denuncia o hospital porque os funcionários o chamaram de “mãe”.

Bennett Kaspar-Williams é uma mulher biológica que fez transição de gênero em 2011. Em 2017 ela começou a se relacionar com Malik, que dois anos mais tarde se tornou seu marido.

Eles engravidaram de forma natural assim que Williams parou de tomar testosterona, fazendo seus ovários voltarem a funcionar.

Mesmo tendo removido os seios durante o processo de troca de sexo, a parte genital dela continua feminina, tornando possível a gravidez natural.

O filho do casal nasceu de cesária e durante todo o processo William foi chamada de mãe pelas funcionárias da clínica.

Um ano depois ela tem contado sua história de “maus tratos” no hospital para dizer que é preciso separar a maternidade da feminilidade. “É importante que deixemos de definir ‘feminilidade ‘em termos de ‘maternidade’, porque é um falso equivalente que todas as mulheres podem se tornar mães, que todas mães carregam seus próprios filhos, ou que todas as pessoas que carregam filhos são mães”, disse ele.

“Mesmo com uma barba cheia, um peito achatado e um marcador de gênero ‘masculino’ em todas os meus documentos de identificação, as pessoas não podiam deixar de me chamar de ‘mãe’ ou ‘senhora’. Foi isso que me deixou disfórico”, lamenta ele ao Daily Mail.

 

PUBLICIDADE