Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Mundo Cristão

Cristãos são expulsos de suas casas por não sustentarem mais os monges locais

Os cristãos ex-budistas enfrentam maiores dificuldades porque são perseguidos pela família e autoridades locais

Publicado

em

Em janeiro de 2021, quatro famílias no Sul do Laos receberam uma notificação do chefe da aldeia, assinada pelo governador do distrito para deixarem a região. De acordo com a declaração, a fé das famílias está causando desunião na comunidade. A tensão começou depois que o chefe proibiu Sompong* e outros 19 cristãos de reparar as casas depois que elas foram destruídas pelo tufão no final de 2020. O cristão disse que a maioria das famílias afetadas recebeu ajuda do governo e foram capazes de reconstruir as casas, exceto os seguidores de Jesus.

A aldeia de Sompong é budista e a família dele foi a primeira a se converter, depois que uma das filhas foi curada de uma doença no início de 2020. Outros 13 aldeões também decidirem seguir a Cristo após o milagre. No entanto, o chefe do vilarejo e outros moradores acusam a mudança de fé de dificultar a participação em cerimônias e fazer oferendas aos monges budistas. A vila só tem 80 moradores e com 25% deles cristãos, houve uma grande perda na arrecadação de sustento dos monges. O chefe deu um ultimato aos convertidos para tomar parte na obrigação ou deixar a aldeia.

Em maio, os 20 cristãos não tiveram escolha e foram viver em uma casa improvisada em um campo de arroz, longe da comunidade. Mas não muito tempo depois, a comunidade cortou o suprimento de água para as famílias. Após muitas conversas com o governo local, o abastecimento de água foi restaurado e também foi prometido que 20 sacos de arroz serão entregues a eles. Os parceiros da Portas Abertas no Laos também forneceram comida aos irmãos e ajudaram financeiramente os líderes cristãos.

A perseguição no Laos

Além de maioria budista, o país ainda conta com um governo comunista que se torna uma forte fonte de perseguição aos cristãos.

Atualmente, o Laos ocupa do 22º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021, onde as atividades cristãs são monitoradas pelas autoridades. Nas áreas rurais, as igrejas domésticas são forçadas a se reunir em segredo, pois são consideradas “ilegais”.

Os seguidores de Jesus no país enfrentam perseguição vinda de todas as esferas da vida, principalmente de amigos e familiares, comunidade, gangues, grupos não cristãos e oficiais do governo. Os cristãos ex-budistas enfrentam maiores dificuldades porque são perseguidos pela família e autoridades locais.

Além disso, a perseguição também assume a forma de pobreza devido à negligência do governo, crianças enfrentam bullying nas escolas e cristãos ex-budistas perdem os empregos. Ela pode ainda se apresentar na forma de casamentos desintegrados, perda de cidadania ou boicote a comércio de cristãos. Essa perseguição é invisível, mas severa.

O que a Portas Abertas tem feito pelos cristãos no país

Por meio de parceiros da igreja local, a Portas Abertas fortalece os cristãos perseguidos no Laos, fornecendo materiais cristãos, treinamento de liderança e discipulado, programas de desenvolvimento socioeconômico, advocacy, auxílio emergencial e ajuda prática.

O que você pode fazer?

O tipo de perseguição que cristãos enfrentam em países budistas está mais relacionado à pressão do que à violência. Essa última até existe, mas a pressão já está na estrutura da sociedade.

Apesar do budismo ser visto como uma religião pacífica, isso tem a ver com a harmonia com você mesmo e a comunidade. Sendo assim, a presença cristã pode ser destrutiva, afinal, os cristãos são vistos como pessoas inclinadas a destruir a unidade e cultura do país. Como principal religião em Mianmar, Butão, Laos e Sri Lanka,o budismo desfruta de proteção e lealdade de todos.

Além da pressão enfrentada em comunidades budistas, famílias cristãs pobres ainda precisam lidar com a falta de recursos. Sua doação permite que um cristão ex-budista, em um país asiático, receba capacitação para geração de renda durante dois meses. Conheça a campanha e faça a diferença na vida de alguém.

*Nome alterado por segurança. 

PUBLICIDADE