Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Brasil/Mundo

Saiba mais sobre o decreto que liberou os cultos presenciais em Palmas

Publicado

em

Atendimentos aos fiéis poderão ser realizados com horário agendado

O Diário Oficial do Município desta quarta-feira, 10, trouxe medida que regulamenta as normas de funcionamento dos cultos presenciais nos templos religiosos.

O Decreto Nº 1.905/2020 estabelece que cultos e missas presenciais poderão ser realizados com lotação máxima de até 30% da capacidade do templo; que os assentos sejam disponibilizados de forma alternada entre as fileiras de cadeiras ou bancos, devendo ser retirados ou estar bloqueados os que não serão ocupados.

+ Após pressão de líderes religiosos, Prefeitura de Palmas libera a realização de cultos presenciais

+ Vereador Rogério Santos comemora a volta dos cultos religiosos presenciais em Palmas

As igrejas também devem assegurar que todas as pessoas que entrarem no templo higienizem suas mãos com álcool gel 70%, que o produto esteja disponibilizado em locais de circulação ou presença de púbico, além de manter a higienização contínua do espaço. Os fiéis devem permanecer de máscara enquanto estiverem no interior do templo, exceto os ministrantes e músicos.

+ Jornalista comemora retorno dos cultos presenciais em Araguaína: ‘sociedade é quem ganha’

Os atendimentos aos fiéis poderão ser realizados com horário agendado, com a observância da distância mínima de dois metros entre as pessoas, exceto para composições familiares.
Já o atendimento de fiéis integrantes dos grupos de risco como idosos, hipertensos, diabéticos e gestantes deve ser realizado em domicílio, para evitar a exposição destas pessoas ao risco de transmissão do novo coronavírus.

A fiscalização dos templos religiosos e afins ficará a cargo das equipes de vigilância sanitária e órgãos de segurança do Município. As instituições religiosas estão sujeitas às penalidades administrativas, cíveis e criminais, conforme o caso, podendo inclusive perder o alvará de funcionamento se houver reincidência.

As previsões contidas no Decreto poderão ser revistas a qualquer tempo diante do crescimento ou do decréscimo da taxa de transmissibilidade com impacto na rede de saúde pública. 
Leia a íntegra do decreto aqui.

PUBLICIDADE