Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Opinião

Lição 10: As Profecias despertam e trazem Esperança | 1° Trimestre De 2022

Publicado

em

Você sabe quem são os profetas maiores e menores da Biblia? Conhece a mensagem de esperança e despertamento que eles trazem? Fique ligado, pois este é o tema da aula de hoje.

A paz do Senhor! Continuando a série de estudos deste trimestre sobre a Supremacia das Escrituras, partiremos agora para o conhecimento acerca dos livros proféticos da Bíblia Sagrada.

Confira abaixo o Video e logo após o estudo escrito.

Quando estudamos os livros proféticos da Bíblia, falamos principalmente sobre as Escrituras do Antigo Testamento escritas pelos profetas. No Novo Testamento apenas o livro de Apocalipse é classificado como profético. No AT, os livros proféticos são divididos em categorias de profetas maiores e menores. Esses rótulos não se referem à importância dos profetas, mas sim à extensão dos livros de sua autoria. Os livros dos profetas maiores são longos, enquanto os livros dos profetas menores são relativamente curtos.

Ainda sobre os livros Proféticos do Antigo Testamento, pertinente ressaltar que estes são livros que foram compilados por profetas (ou seus ouvintes) que abordaram o abandono de Deus por parte de Israel e chamaram o povo a retornar a ele. Eles variam de livros longos (conhecidos como Profetas Maiores), como o Livro de Isaías e o Livro de Jeremias , a livros mais curtos (conhecidos como Profetas Menores), como os livros de Oséias, Joel e Jonas.

Os profetas eram porta-vozes divinamente designados para Deus. A palavra hebraica para profeta ‘nabi’ significa porta-voz. Eles pregaram sobre a corrupção de Israel, o julgamento de Deus e Sua futura restauração.

De acordo com a Bíblia, um verdadeiro profeta foi chamado e equipado por Deus, capacitado pelo Espírito Santo para realizar seu trabalho: falar a mensagem de Deus para pessoas e culturas específicas em situações específicas, confrontar as pessoas com o pecado, alertar sobre o julgamento e as consequências. se as pessoas se recusassem a se arrepender e obedecer. Como “videntes”, os profetas também trouxeram uma mensagem de esperança e bênção futura para aqueles que andaram em obediência.

Os profetas do Antigo Testamento apontaram o caminho para Jesus Cristo, o Messias, e mostraram aos humanos a necessidade de sua salvação .

São 17 os Livros dos profetas para somente 16 profetas, visto que Jeremias escreveu dois: o livro que traz o seu nome e Lamentações. Ordinariamente se chamam estes livros “profetas maiores” e “profetas menores”, como segue:

Profetas maiores: Isaías, Jeremias, Lamentações, Ezequiel, Daniel.

Profetas menores: Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.

Baseia-se esta classificação no tamanho dos livros. Cada um dos três livros, Isaías, Jeremias, ou Ezequiel, é em si mesmo maior do que todos os 12 profetas menores, tomados em conjunto. Daniel é quase igual ao tamanho combinado dos dois maiores Profetas Menores, Oséias e Zacarias.

Classificados quanto ao tempo

13 dos profetas se relacionaram com a destruição da nação hebraica; 3 com a sua restauração. A destruição da nação foi consumada em dois períodos. O reino do Norte caiu, 732-722 a.C. Antes desse período e durante ele houve: Joel, Jonas, Amós, Oséias, Isaías, Miquéias. O reino do Sul caiu, 605-587 a.C. Neste período houve: Jeremias, Ezequiel, Daniel, Obadias, Naum, Habacuque, Sofonias.

A restauração da nação ocorreu em 538-445 a.C. Relacionados com ela houve os seguintes: Ageu, Zacarias e Malaquias.

Classificados quanto à mensagem

Embora encerrando mensagens maiores, foram dirigidos principalmente aos seguintes:

A Israel: Amós, Oséias.

A Nínive: Jonas, Naum.

A Babilônia: Daniel.

Aos cativos na Babilônia: Ezequiel.

A Edom: Obadias.

A Judá: Joel, Isaías, Miquéias, Jeremias, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias.

Todo leitor da Bíblia deve decorar os nomes desses profetas, a fim de se capacitar a achá-los prontamente.

O fato histórico que deu ocasião à obra dos profetas foi a apostasia das dez tribos no fim do reinado de Salomão (ver sobre 1 Rs 12). Como medida política, para conservar separados os dois reinos, o reino do Norte adotou como religião oficial o culto do Bezerro, um aspecto da religião do Egito.

Logo depois adicionaram o culto de Baal, que também teve grande influência no reino do Sul. Nessa crise, quando o povo de Deus o estava abandonando e se entregando à idolatria das nações vizinhas, e quando o nome de Deus estava desaparecendo do espírito do povo e os planos divinos, que visavam à redenção final do mundo, reduziam-se a zero, nesse tempo surgiram os profetas.

Profetas e sacerdotes

Os sacerdotes eram os mestres religiosos do povo, regularmente designados. Constituíam uma classe hereditária e muitas vezes foram os homens mais ímpios da nação. Ainda assim eram mestres religiosos.

Ao invés de bradar contra os pecados do povo, caíam com ele nas mesmas faltas e tomavam-se líderes na iniquidade. Os profetas não eram uma classe hereditária. Cada um recebia diretamente de Deus o seu chamado. Procederam de diferentes profissões. Jeremias e Ezequiel foram sacerdotes; e talvez também Zacarias. Isaías, Daniel e Sofonias pertenceram à realeza.

Amós foi pastor. Quanto aos demais, não se sabe o que foram.

A Missão e a Mensagem dos Profetas

Os profetas receberam uma mensagem para cumprirem sua missão, fora elas:

  1. Procurar salvar a nação de sua idolatria e impiedade.
  2. Falhando nisso, anunciar que a nação seria destruída.
  3. Não porém completamente destruída. Um remanescente seria salvo.

4 . Do meio desse remanescente sairia uma influência que se espalharia pela terra e traria a Deus todas as nações.

  1. Essa influência seria um grande Homem, que um dia se levantaria na família de Davi. Os profetas chamaram-no de “REBENTO”. A árvore da família de Davi, que fora a mais poderosa do mundo, foi cortada nos dias dos profetas, para governar um reinozinho desprezado que tendia a desaparecer; uma família de reis sem reino: esta família faria uma volta espetacular reaparecia. Do seu tronco brotaria um renovo, um rebento tão grande que se chamaria O Rebento.

A mensagem social dos profetas

Obras modernas sobre os profetas dão grande ênfase à mensagem social deles, à denúncia que fazem da corrupção política, da opressão e podridão moral da nação. No entanto, o que mais incomodava os profetas era a IDOLATRIA do povo; a nação tinha ideias erradas a respeito de Deus. Admira como escritores modernos passem tão desapercebidos sobre esse fato, especialmente em vista da verdade universalmente reconhecida de que a vida social de um povo é reflexo direto da religião que segue.

O elemento profético

Eruditos modernos inclinam-se a reduzir ao mínimo o elemento profético da Bíblia. Mas esse elemento aí está. A ideia mais persistente de todo o A.T. é esta: O SENHOR, o Deus da nação hebraica eventualmente vai tornar-se o Deus de todas as nações. As gerações sucessivas de escritores do A.T. passam do geral ao particular na descrição dos pormenores desse fato e da maneira como se vai realizar. E nos profetas, embora eles mesmos possam não ter compreendido todo o alcance de algumas de suas palavras, e ainda que algumas de suas predições estejam obscurecidas por fatos históricos dos seus dias, mesmo assim toda a história de Cristo e da propagação do cristianismo na terra está descrita antecipadamente, em linhas gerais e em detalhe, numa linguagem que não se pode referir a nenhum outro evento da História.

A Mensagem de cada profeta, expressa em poucas palavras:

Joel: visão da dispensação do evangelho, colheita das nações pelo SENHOR.

Jonas: vislumbre do interesse do Deus de Israel nos inimigos de seu povo.

Amós: a Casa de Davi, ora repudiada por Israel, ainda regerá o mundo.

Oséias: o SENHOR repudiado por Israel, será um dia Deus de todas as

nações.

Isaías: Deus tem um remanescente, para o qual existe um futuro glorioso.

Miquéias: o Príncipe vindouro de Belém, e seu reinado universal.

Naum: Juízo pendente sobre Nínive.

Sofonias: a vinda de nova revelação, chamada por um nome novo.

Jeremias: o pecado, a condenação e a futura glória de Jerusalém.

Ezequiel: a queda de Jerusalém, sua restauração e futuro glorioso.

Obadias: Edom perecerá de todo, por causa de sua inimizade ao povo do

SENHOR.

Daniel: os quatro reinos, e o reino universal e eterno de D eus.

Habacuque: certeza de triunfo final para o povo do SENHOR.

Ageu: o segundo templo, e o templo maior que há de v ir.

Zacarias: o rei vindouro, sua casa e seu reino ilustre.

Malaquias: mensagem final à nação messiânica.

Apocalipse: É o livro de Apocalipse ou Revelação, o livro profético do NT. Trata da volta pessoal do Senhor Jesus à Terra e das coisas que precederão esse glorioso evento. Nesse livro vemos o Senhor Jesus vindo com seus santos para: a) destruir o poder gentílico mundial sob o reinado da Besta; b) livrar Israel, que estará no centro da Grande Tribulação; c) julgar as nações; e d) estabelecer o seu reino milenar.

O CANAL

Eu sou Sergiano Reis e te convido a estudar comigo esta bela aula sobre a inerrância da Bíblia – A Palavra de Deus.

Dicas e sugestões? Via e-mail [email protected]

#asprofeciasdespertametrazemesperança #escoladominical #lição10

Bibliografia:

Halley, Henry H. Manual Bíblico. São Paulo: Edições Vida Nova, 1983.

Manual Bíblico SBB. Bueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 2008.

Baptista., Douglas, A Supremacia das Escrituras a inspirada, inerrante e infalível palavra de Deus. Editora CPAD. 1ª edição: 2021.

PUBLICIDADE