Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Política

Eli Borges assume como porta-voz da Bancada Evangélica e se posiciona contra pautas nocivas aos valores cristãos

Nova mesa diretora da Frente Parlamentar Evangélica foi empossada nesta quarta-feira

Publicado

em

Líder conservador e porta-voz da bancada Evangélica na Câmara dos Deputados empossado nesta quarta-feira (16), Eli Borges (Solidariedade-TO), se posicionou sobre pautas que estão em debate no parlamento em detrimento da defesa da vida, dos valores cristãos, dos costumes e de assuntos que interferem diretamente na vida de milhares de brasileiros.

“Este é um ano para lutar contra a linguagem neutra, a legalização dos jogos de azar, contra a liberação do plantio de maconha no Brasil, contra este pensamento maligno de que não pode usar a expressão marido e mulher, contra projeto do tipo família do século 21, lutando contra projeto que legaliza o direito de roubar. Contra todos esses absurdos. Não podemos concordar com isso”, elencou. A fala do deputado é um alerta para as propostas que permeiam o ambiente legislativo, com o foco de promover mudanças sociais que deturpam os princípios cristãos na sociedade.

“Temos que preservar o princípio da honestidade de qualquer cidadão, em qualquer nível de valor. E a nossa luta que tem que ser mais forte ainda contra essa visão de um Supremo que tem cumprindo missões fora do seu princípio constitucional. Ore por nós, nos acompanhe e estaremos aqui na trincheira com a ajuda do nosso Deus”, completa o parlamentar.

JOGOS DE AZAR

Desde o início do mandato como deputado federal, Borges se posiciona contra a legalização dos jogos de azar, apresentando dados sobre a indústria dos jogos colhidos em Las Vegas, que é mundialmente conhecida como a localidade com a maior concentração de cassinos. Além disso, Eli Borges destacou o surgimento da ludopatia entre os jogadores que desenvolvem um transtorno reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que afeta as pessoas de forma patológica, as quais ficam reféns da compulsão pelo jogo.

“Quero falar de custos sociais. Em Las Vegas, os estupros aumentaram 61 % com base nos números nacionais, furtos 57 %, crime violento 40 % e pensamento de suicídio, por aqueles que se endividam em função do jogo e da legalização, mais de 1000% por cento. A ludopatia é uma doença que faz com que a pessoa jogue reiteradamente, trazendo problemas de endividamento para a família, separação familiar e comprometimento de salário por toda a vida”, declarou.

FUNDO ELEITORAL

Eli Borges foi o único parlamentar da bancada do Tocantins que votou contra a derrubada do veto ao aumento do fundo eleitoral de R$ 2 para R$ 5,7 bilhões. A sessão do Congresso analisou o veto do presidente Jair Bolsonaro (PL), que pretendia limitar o Fundão a R$ 2 bilhões. No entendimento do parlamentar, o fundo é importante para quebrar a influência do capital sobre as eleições, mas o valor em questão é desproporcional à situação do país e um escárnio com a população brasileira. Ainda de acordo com a defesa de Eli Borges, o recurso para o aumento da verba em questão deve ser usado para viabilizar o atendimento de demandas de áreas prioritárias como Saúde, Educação e Segurança Pública, por exemplo.

Como deputado federal, Eli Borges tem três anos completos de atuação marcados pela forte atuação na Câmara dos Deputado. O parlamentar já atuou diretamente na mudança de 20 leis, para a manutenção da visão conservadora. Eli Borges também já destinou mais de 120 milhões, por meio de emendas parlamentares, para melhorias e desenvolvimento dos municípios do Estado do Tocantins.

PUBLICIDADE