Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Mundo Cristão

Covid-19: Cristã de 32 anos retorna do coma com testemunho de cura: “Ouvia pessoas louvando”

Sedada, Talita pode ouvir pessoas cantando sem saber que uma vigília acontecia na porta de sua casa, há muitos quilômetros de onde ela estava internada

Publicado

em

Talita Guedes Pereira, 32 anos, teve experiências sobrenaturais enquanto esteve internada em decorrências de complicações da covid-19. Foram 26 dias de internação, 16 deles intubada.

Internada em 8 de agosto, a jovem só recebeu alta em 2 de setembro e hoje tem usado as redes sociais para contar o milagre que viveu.

“No dia 8, tive dificuldades para dormir, me sentindo muito fraca, comprei um oxímetro e vi que minha saturação estava em 46”. Ela então foi levada para o Hospital Municipal Vila Santa Catarina por seus familiares, onde logo recebeu oxigênio para aumentar a saturação. Mas durante os primeiros socorros, ela ‘apagou’ e só voltou a acordar depois de muitos dias.

Seus pulmões, coração e rins foram afetados pelo novo coronavírus e a sua família se firmou na fé para conseguir superar os problemas que surgiam ao longo do tratamento.

Membro da igreja Assembleia de Deus Jardim São Jorge (Ministério Ipiranga), em São Paulo, ela contou com as orações de seus irmãos em Cristo que eram avisados por seus familiares sobre seu estado de saúde.

Para ela a fé e apoio dos amigos da igreja foram muito importantes. “A fé me ajudou a suportar o processo, porque em nenhum momento eu me senti sozinha”, conta ela. “Sentia Deus ao meu lado todo tempo, inclusive preparando enfermeiros para me apoiarem”, relembra.

“Ouvia pessoas cantando para mim”

Enquanto estava sedada, porém, Talita sentia como se voasse em um helicóptero e voltou do coma lembrando de situações especiais que aconteceram longe dela, mas que ela sentiu que estava lá, participando.

“Tive a sensação de estar sendo transferida, viajando para outros lugares. Sentia meu corpo subindo, como se eu estivesse de helicóptero”, relembra.

Talita se lembra de ouvir pessoas cantando para ela sem saber que os jovens da igreja fizeram uma vigília na porta do condomínio onde ela mora, enquanto ela estava internada, e cantaram canções de louvor a Deus.

Ela também se lembra de ouvir sua irmã cantando e isso realmente aconteceu, mas sua irmã adorava a Deus do estacionamento do hospital, pois diante do risco de contágio, Talita não recebeu visitas por várias semanas.

Apesar das complicações, Talita não teve sequelas e hoje vive um vida normal. Siga nas redes sociais https://www.instagram.com/thaliguedes21.

PUBLICIDADE