Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Bastidores

Araguaína vai sediar a 81ª AGO da Convenção CIADSETA no mês de julho/2021

“A Igreja do Senhor não para e acreditamos que a internet é uma ferramenta abençoada por Deus, e de grande relevância para esse tempo”, ressaltou o presidente Pastor Paulo Martins.

Publicado

em

A 81ª Assembleia Geral Ordinária (AGO) da Convenção Interestadual dos Ministros das Igrejas Assembleias de Deus do Seta (Ciadseta) ocorrerá na modalidade virtual nos dias 09 e 10 de julho de 2021, e será realizada na cidade de Araguaína –  Tocantins.

De acordo com a organização,  o evento terá como tema geral “Gestão Eclesiástica, o segredo da Estabilidade da Igreja” e os versículos chave está em 1Pe 4: 10,11 – Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém” . Subtemas de grande relevância, com foco na doutrina, costumes, rebanho e administração da igreja com poder de Deus também será debatido na AGO.

A Convenção da CIADSETA que é presidida pelo pastor Paulo Martins Neto será on-line, sendo transmitida pela plataforma ZOOM, tendo em vista o momento de pandemia da Covid-19.

“A Igreja do Senhor não para e acreditamos que a internet é uma ferramenta abençoada por Deus, e de grande relevância para esse tempo”, ressaltou o presidente Pastor Paulo Martins.

As inscrições estarão abertas até dia 08 de julho 2021, e podem ser realizadas na secretária da igreja de Araguaína e da CIADSETA ou pelo link http://bit.ly/Incricoes81AGO que se encontra na descrição do Instagram e Facebook da ciadsetatocantinsoficial, com pagamento através de boleto bancário.

 

Saiba + Convenção CIADSETA é favorável ao uso da lição comentada pelo pastor Pommerening

Saiba + Após Abreu e Lima, Assembleia de Deus de Indaiatuba decide suspender lição da CPAD: “ A Casa Publicadora não vigiou”

PUBLICIDADE