Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Brasil/Mundo

Pastor radialista é demitido por se recusar a entrar em partido de esquerda

O pastor Ildo Rafael apresentava o programa de maior audiência na Rádio Farol FM; que pertence à família do prefeito de Maceió, JHC (PSB)

Publicado

em

A Rádio Farol FM, que pertence à família Caldas, do prefeito de Maceió, JHC, demitiu na semana passada o radialista e pastor Ildo Rafael que apresentava o programa Show da Manhã.

Com uma audiência fiel e sendo um dos principais programas da emissora, seu desligamento repentino assustou os ouvintes que, ao procurarem nas redes sociais, tiveram a informação de que a demissão se deu por razões políticas.

Segundo o comunicador declarou em áudios que circulam nos grupos da capital alagoana, JHC o pressionou para que ele se filiasse ao PSB para disputar as eleições de outubro.

Rafael, que já tentou se eleger outras vezes, disse que não tinha interesse no PSB, que é ligado à esquerda política, nem tinha mais pretensões de se tornar candidato.

Apesar de ser um nome forte na capital por conta de seu programa matinal, o radialista evangélico entendeu que, na verdade, o interesse da família Caldas era que ele somasse votos em favor da sigla.

O prefeito da capital, segundo a imprensa local, tem interesse em eleger ainda este ano seu irmão e seu pai como deputados estadual e federal e a mãe como senadora.

Com a negativa do pastor de fazer parte do plano, ele foi desligado da rádio sem justa causa. 

Entramos em contato com a Prefeitura, mas o assessor declarou que não poderia comentar assuntos pessoais do prefeito. A assessoria da rádio também não respondeu.

Ouvintes lamentam

O pastor Ildo Rafael apresentava um programa interativo que ajuda a população mais pobre da cidade, mobilizando apoio e doações.

Cestas básicas, remédios, cadeiras de rodas, móveis, entre outros itens eram recolhidos e doados para quem pedia ajuda do programa.

Quando a demissão do radialista evangélico chegou aos ouvintes, os grupos da cidade foram inundados por críticas ao prefeito e ao partido.

“É a perseguição aos cristãos, pela família que falava em nome de Deus unicamente para ganhar voto dos cristãos”, disse um maceioense.

“Não se faz política em Alagoas, com bons propósitos. O jogo sujo e o ‘mau-caratismo’ são predominantes, sempre”, diz outro comentário sobre o caso.

“Pastor Ildo Rafael ajudou muito JHC e vejam  que essa família fez com pastor. Eles vão perder muitos votos dos evangélicos de todos os ministérios. Deus vai abrir outras portas pastor Ildo, em nome de Jesus”, diz outro.

 

Pastor comenta sobre a saída

Procurado por nossa equipe, o pastor Ildo Rafael comentou sobre a demissão confirmando que foram razões políticas que o fizeram perder o emprego.

“Me causou surpresa a atitude ríspida, ditatorial e intransigente em condicionar minha permanência a mudar de partido e ser candidato, quando eu disse que não queria. Não levou em consideração, à mim como comunicador a 46 anos, pastor e líder em audiência no horário, os ouvintes que hoje choram com saudades do programa e a ajuda que dei nas duas campanhas dele”, disse o pastor que apoiou JHC em 2018 para federal e em 2020 para prefeito. 

“Foram 3 anos no rádio preparando a ida dele para receber o poder de governar Maceió. Mas o adágio já alerta: Quer conhecer o homem de à ele poder”. finaliza Ildo Rafael.

 

PUBLICIDADE