Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Política

“MP da Bahia desrespeita a liberdade de culto e constrange pastor”, diz Eli Borges

O pastor Carlos César Januário foi obrigado a se retratar por dizer a palavra “homossexualismo” no culto

Publicado

em

O deputado federal Eli Borges (SD-TO) foi ao plenário da Câmara dos Deputados mostrar sua indignação com a decisão do Ministério Público da Bahia que intimou o pastor Carlos César Januário, Primeira Igreja Batista de Ipiaú (BA), a se desculpar por algo que ele disse dentro do culto.

“Nós estamos vivendo uma verdadeira cristofobia neste país, nós tivemos o episódio do grande líder nacional Jorge Linhares e agora com o presidente da Convenção Batista da Bahia”.

O pastor Jorge Linhares foi levado a prestar esclarecimentos após alunos da escola cristã onde ele é responsável gravar um vídeo criticando a ideologia de gênero. Relembre aqui.

Agora tem a questão da Bahia onde o pastor precisou assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) se comprometendo a ler durante o culto um pedido de desculpas por ter usado a palavra “homossexualismo” durante uma crítica à empresas que promovem a causa LGBTQ+.

“E quero aqui, na condição de parlamentar, dizer que o MP desrespeitou a Constituição e ao Supremo Tribunal Federal”, disse.

Eli Borges entende que há casos que o Ministério Público tem extrapolado seu papel, pois a decisão desrespeita a liberdade de culto.

Assista:

 

PUBLICIDADE