Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Política

Marcus Marcelo apresenta projeto que beneficia deficientes auditivos

Publicado

em

Presidente da Câmara de Araguaína, Marcus Marcelo (PR)

O vereador Marcus Marcelo (PR), Presidente da Câmara Municipal de Araguaína, protocolou na manhã desta quinta feira 19 de outubro, um projeto de lei que institui um tradutor de libras nas repartições públicas como secretarias, autarquias, institutos, hospitais e unidades básicas de saúde do município.

 
De acordo com Marcus Marcelo o município de Araguaína precisa dar esse importante passo em direção à inclusão social. O vereador acrescenta que já fez o dever de casa quando realizou o concurso público da Câmara, e colocou o cargo de tradutor: “hoje a Câmara de Araguaína é a única desta região que conta com um servidor concursado, tradutor de libras”, disse Marcus Marcelo.
 
Com a aprovação da lei, as pessoas surdas ou deficientes auditivos terrão o direito de serem atendidas nas repartições públicas municipais por um funcionário apto a comunicar-se por meio da Língua Brasileira de  Sinais. Para a Professora de Libras da UFT, Campus de Araguaína, Roselba Gomes de Miranda, que também é deficiente auditiva, a vida em relação à acessibilidade sempre foi marcada por muitas dificuldades.
 
“A sociedade sempre foi muito fechada quando o assunto se trata de inclusão. Hoje vivemos tempos diferentes, onde estamos conquistando as primeiras vitórias, a sociedade precisa abrir mais a mente pra questão da acessibilidade. Vejo com muita alegria a ideia do Vereador Marcus Marcelo em apresentar esse projeto, pois a presença do profissional intérprete em repartições públicas garante não só a inclusão do surdo na sociedade, mas também direitos básicos contidos na constituição proporcionando melhor qualidade de vida”, disse a professora.
 
A lei aplica-se a todos os setores públicos de atendimento, aos cidadãos e serviços burocráticos do município de Araguaína. A lei ainda permite que o poder público municipal formalize convênios com entidades sociais cuja finalidade seja o atendimento às pessoas surdas ou deficientes auditivos.
 
Para o vereador Marcus Marcelo, autor da propositura, a lei vai facilitar muito a comunicação entre surdos e ouvintes, possibilitando que todos possam se entender, que possam ser compreendidos e principalmente bem atendidos. “Vejo a necessidade da existência desta lei, tendo em vista o crescimento da cidade, semana passada mesmo registramos no plenário assistindo a sessão duas moças surdas, ainda bem que a câmara tem tradutor, de forma que a Araguaína de fato precisa dar esse passo”, disse o vereador.
SOBRE A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS – 
Mais conhecida como a língua de sinais (gestual) usada pela maioria dos surdos brasileiros é a melhor forma de inclusão dos surdos na sociedade, tornando possível a comunicação deles com as demais pessoas.
É principalmente por meio da Libras que os surdos podem entender o que é dito ao seu redor. Assim sendo, para se comunicar em Libras, não basta apenas conhecer sinais. É necessário conhecer a sua gramática para combinar as frases, estabelecendo comunicação.
Os sinais surgem da combinação de configurações de mão, movimentos, e de pontos de articulação, locais no espaço ou no corpo onde os sinais são feitos. Assim, constituem um sistema linguístico de transmissão de idéias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil.

PUBLICIDADE