Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Política

“Ferir pastor José Wellington Júnior é atacar milhares de irmãos”, dispara Eli Borges após ataques do PT

“Um dos mais ilustres líderes da nação evangélica brasileira, que tem milhões de seguidores, tem seu sagrado direito de se posicionar em defesa de um presidente que defende nossas pautas”, defendeu o deputado.

Publicado

em

“Ferir um líder daquela dimensão é atacar milhares de irmãos dessa nação”, disse o Deputado Federal Eli Borges (PL-TO), ao criticar processo movido contra o Pr. José Wellington Costa Jr e o Deputado Sóstenes Cavalcante por um jurista ligado ao Partido dos Trabalhadores.

A fala do deputado ecoou  no Plenário da Câmara dos Deputados ao início desta semana. Eli Borges elevou o tom e manifestou sua indignação contra o processo que imputa crime eleitoral aos pastores e defendeu o direito de expressar opiniões livremente, como garante a Constituição.

“Um dos mais ilustres líderes da nação evangélica brasileira, que tem milhões de seguidores, tem seu sagrado direito de se posicionar em defesa de um presidente que defende nossas pautas”, defendeu o deputado.

“Que país é este que não compreende a liberdade de expressão? Que país é esse que não entende que o pastor estava no seu direito de enaltecer as qualidades daquele que defende mais de 85% da população brasileira?”, questionou o deputado.

O deputado continuou argumentando sobre a liberdade da igreja em se posicionar, politicamente, a favor de quem defende suas bandeiras e prestou solidariedade aos pastores José Wellington e Sóstenes Cavalcante.

“A igreja não tem partido político, mas ela se alia com aqueles que defendem as suas pautas”, esclareceu Eli Borges. “Quero ser solidário ao meu querido Presidente da Frente Parlamentar Evangélica, Sóstenes Cavalcante, que é alvo desse processo movido pela esquerda, e ao grande líder Pr. José Wellington Costa Jr”, finalizou.

PUBLICIDADE