Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Mundo Cristão

Evangélica é morta com tiro na cabeça após falar de Jesus a traficantes

Idalina Marques era uma moradora antiga do bairro Colônia Oliveira Machado

Publicado

em

Uma senhora evangélica de 57 anos, foi vítima de intolerância religiosa na zona Sul de Manaus, no Amazonas. O caso trata-se de Idalina Ferreira Marques, uma aposentada de 57 anos, que foi morta com um tiro na cabeça na noite de terça-feira (21), após pregar o evangelho da salvação a traficantes da região. Segundo policiais, a mulher era conhecida na região por falar de Deus aos traficantes, na tentativa de tirá-los da criminalidade e convertê-los ao Evangelho.

De acordo com informações da Agência Cenarium, Idalina Marques era uma moradora antiga do bairro Colônia Oliveira Machado, onde viveu cerca de 50 anos, no Beco São Geraldo.

Na região, ela era contra o tráfico e consumo de entorpecentes no beco onde vivia e cuidava sozinha da mãe de 95 anos. “Ela sempre estava em comunhão com a igreja. Aqui era muito perigoso para ela. A única certeza que eu tenho é que ela já está com Deus e o Senhor já a recebeu”, disse uma vizinha.

Crime

A mulher cristã senhora Idalina estava chegando em casa quando dois homens a abordaram e a mataram com um tiro. Segundo o registro de ocorrências do Instituto Médico Legal (IML), a mulher não resistiu a uma hemorragia cerebral ocasionada pelo uso da arma de fogo. O caso é investigado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS).

“Ela batia de frente com o tráfico de drogas”

Segundo o subtenente L. Pereira, da 2ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), moradores relataram que o fato de Idalina intervir e confrontar os traficantes teria começado a gerar uma irritação por parte dos envolvidos com a venda e o consumo de drogas no beco.

“Ela batia de frente com o tráfico de drogas no local, o consumo de drogas aqui também. Ela fechava a passagem [do beco] e, por ser evangélica, tentava converter os traficantes e isso causou uma certa irritação”, declarou o subtenente em entrevista à imprensa.

PUBLICIDADE