Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Brasil/Mundo

Bolsonaro lamenta aborto realizado em SC: “Criança de 11 anos e bebê de 7 meses são vidas que precisam ser preservadas”

O Ministério Público Federal de Florianópolis autorizou a interrupção da gravidez que estava na 30ª semana

Publicado

em

O presidente Jair Bolsonaro lamentou a realização do aborto em uma menina de 11 anos que estava grávida de 7 meses. O caso aconteceu em Santa Catarina após um blog de esquerda noticiar a decisão judicial que impedia o procedimento.

“A única certeza sobre a tragédia da menina grávida de 7 meses é que tanto ela quanto o bebê foram vítimas, almas inocentes, vidas que não deveriam pagar pelo que não são culpadas, mas ser protegidas do meio que vivem, da dor do trauma e do assédio maligno de grupos pró-aborto“, disse o presidente no Twitter.

“Sabemos tratar-se de um caso sensível, mas tirar uma vida inocente, além de atentar contra o direito fundamental de todo ser humano, não cura feridas nem faz justiça contra ninguém, pelo contrário, o aborto só agrava ainda mais esta tragédia! Sempre existirão outros caminhos!”, completou.

Bolsonaro ainda compartilhou a imagem de um bebê prematuro que sobreviveu ao nascer de 25 semanas. O bebê abortado em SC tinha 30 semanas de gestação.

Em outra parte dos tuites, o presidente criticou a imprensa que tentava dizer que ele era favorável ao estupro que supostamente a menina sofreu. Supostamente porque o pai do bebê abortado é um menino de 13 anos que morava na mesma casa que a menina. Ele é imputável pelo crime.

“Para nós, tanto a criança de 11 anos quanto o bebê de 7 meses são vidas que precisam ser preservadas. Para vocês e todos os que promoveram essa barbárie, somente uma dessas vidas importam e a outra pode ser descartada numa lata de lixo, mesmo que exista chance de se evitar isso”, disse o presidente.

Bolsonaro também pediu ao Ministério da Justiça e ao Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos que apurem os abusos cometidos nesse processo, inclusive o aborto e a violação do sigilo de justiça do processo que envolvia menores de idade.

PUBLICIDADE