Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Brasil/Mundo

Retorno das aulas no país será tema de debate na Câmara Federal

Publicado

em

Retorno das aulas no país será tema de debate na Câmara Federal

Uma comissão externa, responsável por acompanhar as ações do governo no enfrentamento à Covid-19 realizará um debate virtual na Câmara Federal nesta terça-feira (7). O assunto principal será a retomada das atividades escolares em todo o Brasil. Desde março, as instituições de ensino de todo o país tiveram que suspender as aulas presenciais e aderiram ao ensino remoto como medida de proteção ao novo coronavírus.

Em algumas regiões o retorno às aulas presencial vem sendo programado para as próximas semanas. No Distrito Federal, por exemplo, o governador Ibaneis Rocha (MDB) já oficializou a retomada das aulas nas escolas privadas para o dia 27 de julho. Já para instituições públicas o retorno está previsto para o início de agosto. A Sociedade de Pediatria do Distrito Federal, sindicato dos professores e associações de pais e alunos do DF já se posicionaram contra o retorno das aulas.

No Plenário, os deputados também devem finalizar, ainda nesta terça, a votação da medida provisória que permite a suspensão da obrigatoriedade de escolas e instituições do ensino superior de obterem a quantidade mínima de dias letivos em 2020 por conta da pandemia.

O texto-base da medida foi aprovado no dia 30 de junho. Entre as proposições descritas na MP está a dispensa do cumprimento dos 200 dias do ano escolar e também a carga mínima de 800 horas na educação infantil.

As instituições de ensino fundamental e médio terão de cumprir a carga mínima de 800 horas, porém sem a necessidade de cumprir os 200 dias letivos. Para o ensino superior, a MP também exclui o cumprimento dos 200 dias letivos, mas indica a necessidade de cumprir a carga horária prevista pela grade curricular de cada curso.

MEC lança protocolo de biossegurança

Na semana passada, o Ministério da Educação anunciou o protocolo de biossegurança que deve ser acatado para o retorno das aulas nas universidades e institutos federais. O documento é composto por algumas ações, como escalonamento das equipes, continuidade de trabalho remoto para funcionários do grupo de risco, respeito ao distanciamento mínimo de 1,5 metro entre uma pessoa e outra, aferição de temperatura em todas as pessoas que entrarem nas unidades.

 “O protocolo não é uma regra engessada, é uma diretriz para as instituições fazerem o retorno às aulas. Tem medidas protetivas individuais e coletivas, [para] salas de aula, laboratórios, transportes coletivos, atividades laborais, entre outros”, disse o secretário de Ensino Superior do MEC, Wagner Vilas Boas, em entrevista coletiva realizada no dia 1º de julho.

O Ministério da Educação já se posicionou de forma favorável ao retorno das aulas nas instituições de ensino superior, mas não definiu uma data para isso. De acordo com o MEC, a definição deve ocorrer em acordo com estados e municípios, levando em consideração a realidade epidemiológica de cada local.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

PUBLICIDADE