Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Bastidores

França de Olho no Futuro: Além de nova lei, Macron Incentiva Elo Entre Olimpíadas e Esports em 2024

O intuito do encontro foi justamente para debater assuntos pertinentes e discutir sobre ações que possam impulsionar ainda mais o setor de esports no país.

Publicado

em

O presidente francês, Emmanuel Macron, tem manifestado nas últimas semanas sobre seu desejo em sediar em 2024, não apenas as Olimpíadas de 2024, como também criar um elo para sediar competições de jogos eletrônicos. No caso o jogos como Counter-Strike: Global Offensive e League of Legends, ganhariam destaque olímpico em suas competições esportivas.

 

Após aproximadamente um mês da sua reeleição, Emmanuel Macron, reuniu personalidades e jogadores destaques franceses do setor de esports, em evento que aconteceu no Palácio do Eliseu, em Paris. O intuito do encontro foi justamente para debater assuntos pertinentes e discutir sobre ações que possam impulsionar ainda mais o setor de esports no país.

 

Macron quer botar esports no radar do público nas Olimpíadas de 2024

O foco do presidente Emmanuel Macron é concentrar esforços e trabalhar para fazer com que a França seja palco de grandes campeonatos de esports. Isto porque almeja almeja recepcionar grandes competições no mesmo ano e em paralelo às Olimpíadas de 2024. Como por exemplo a competição mundial de League of Legends – Worlds, Counter-Strike: Global Offensive – Major e Dota 2 – The International.

Ainda sobre impulsionar o setor de esports em seu país, Macron reforçou a promessa de um maior auxílio governamental para o crescimento de esports na França, fornecendo um maior apoio para o cenário competitivo de jogos eletrônicos.

Tal postura de Macron não é por acaso, tendo em vista que a França é um dos países europeus que possui maior conexão com esports (esportes eletrônicos).

A França possui um histórico por já ter sido palco de algumas grandes competições de jogos eletrônicos no passado, como quando a França foi sede da Fase de Grupos da Worlds 2015, de League of Legends. Anos depois, em 2019, a França sediou a Fase Final da Worlds 2019. Vale dizer que no ano de 2018, aconteceu na França a fase semifinal e final do torneio Mid-Season Invitational.

 

Durante anos, a França sediou a competição conhecida como ESWC (Electronic Sports World Cup). Fundado na França, o torneio de Counter Strike 1.6  foi considerado um dos mais importantes campeonatos de 2003 a 2011. Na edição de 2006 do evento, a equipe brasileira de CS:GO, MIRB, conquistou o título mundial de CS:GO, disputado na França.

França cria lei para proibir o uso de termos em inglês ligados a internet

 

Uma outra medida que o governo francês tomou recentemente ganhou visibilidade na mídia, isto porque a França tenta preservar seu idioma em relação a termos estrangeiros. A medida é uma nova lei francesa que proíbe o uso de expressões em inglês, em documentos formais.

“Queremos também ajudar o tecido associativo a se estruturar, acompanhar os jovens, para ter mais disciplina e prevenção, como já se faz no esporte, para assim preparar uma verdadeira carreira e uma reconversão. Penso que podemos criar muitas coisas, criar para o país e nos tornarmos uma grande nação dos esports”. declarou Emmanuel Macron.

 

Dentro da esfera de esports, há equipes francesas do setor que são destaques mundiais, como é o caso da equipe Team Vitality, que é uma verdadeira potência se tratando em competições de Counter-Strike: Global Offensive, ou simplesmente CS:GO.  Inclusive um dos integrantes da equipe, Mathieu, foi eleito por duas vezes como melhor do mundo e atualmente Team Vitality ocupa o 5º lugar no ranking mundial do jogo.

As palavras  “pro-gamer” e “streamer”, conhecidas por serem comumente utilizadas no vocabulário de  em jogos de videogame, passam a serem substituídas, respectivamente, pelas palavras correspondes na versão francesa: “joueur professionnel” e “joueur-animateur en direct”.

A medida foi tomada e aprovada pelo governo com a justificativa de preservar o idioma pátrio. A lei, que proíbe, além do vocabulário dos funcionários públicos, determina também que as palavras sejam banidas de publicações e documentos oficiais. Uma nota foi divulgada no Diário Oficial da República Francesa no dia 31 de maio, para anunciar que a nova lei estaria em vigor a partir daquele momento.

 

A nova lei alcançou também o setor tecnológico e a área da tecnologia sofrerá algumas alterações. O termo “cloud gaming”,  utilizado para referir-se a jogos com armazenamento em nuvem, deverá ser modificado para a versão francesa, “jeu video en nuage”.

 

A medida é positiva para a sociedade francesa, segundo o Ministério da Cultura da França, que alega que o setor de videogames possui muitos anglicismos, o qual atua como uma “barreira” no entendimento das pessoas que não estão familiarizadas com o universo dos jogos.

 

Com a nova medida em vigor, o governo francês estima que a população possa se comunicar com mais facilidade e de forma homogênea. Os franceses são conhecidos por demonstrarem, com certa frequência, preocupação em manter protegido o seu idioma nativo.

 

PUBLICIDADE