Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Política

Diogo Fernandes denuncia tentativa de tirá-lo da Comissão de Constituição e Justiça

Publicado

em

Da Redação JM Notícia

Para Fernandes, essa é uma atitude estranha que visa atender os interesses do Poder Executivo

O vereador Diogo Fernandes (PSD) denunciou nesta terça-feira (20) que vereadores ligados à base do Executivo estão tentando destituí-lo da presidência da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Câmara Municipal de Palmas.

A denúncia foi feita durante a sessão extraordinária, onde o parlamentar pode declarar sua indignação com a tentativa de mudar a presidência de uma das comissões mais importantes da Câmara para impedir que os projetos da Prefeitura sejam bloqueados pelos parlamentares que fazem parte da oposição e que são maioria nessa comissão.

Um exemplo da ação desses vereadores foi dado ontem, quando a CCJ arquivou o Projeto de Lei de autoria do Executivo que pedia a criação da Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental (TCFA). A proposta era impor o pagamento dessa taxa trimestralmente, para que o Município pudesse fiscalizar “as atividades potencialmente poluidoras ou utilizadoras de recursos naturais”.

“Até hoje eu conduzi os trabalhos aqui na CCJ, sendo eleito presidente nesta comissão, fazendo um trabalho que talvez tenha revolucionado a história das comissões aqui na Casa. Mas sabemos que ao fazermos nosso trabalho fiscalizador, incomodamos muita gente e hoje fomos surpreendidos com um documento que quer dissolver os blocos que integram as comissões”, explicou.

Segundo o parlamentar o pedido, assinado pelos vereadores Tiago Andrino (PSB), Etinho Nordeste (PTB) e Major Negreiros (PSB), é uma manobra para destituí-lo da comissão. “O objetivo é tirar meu mandato de presidente da CCJ para a Câmara virar realmente um apêndice da Prefeitura”, disse o vereador que faz parte da oposição.

Para ele, essa é uma atitude estranha que visa atender os interesses do Poder Executivo. “Tentar destituir os trabalhos de uma comissão passou por todos os limites”, declarou ele se posicionando contra esse pedido.

Procurados, os vereadores Tiago Andrino e Major Negreiros não responderam o pedido da nossa reportagem.

PUBLICIDADE