Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Tocantins

CPI aprova convocação de Mauro Carlesse e de mais 8 governadores

Também foram convocadas pessoas ligadas ao presidente Jair Bolsonar

Publicado

em

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado aprovou nesta 4ª feira (26.mai.2021) requerimentos para convocar o Governador do Tocantins, Mauro Carlesse e de mais 08 governadores, além do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o atual titular da pasta, Marcelo Queiroga. Também foram convocadas pessoas ligadas ao presidente Jair Bolsonaro.

Eis a lista dos convocados:

  • Wilson Lima (PSC), governador do Amazonas
  • Helder Barbalho (MDB), governador do Pará
  • Ibaneis Rocha (MDB), governador do Distrito Federal
  • Mauro Carlesse (PSL), governador do Tocantins
  • Carlos Moisés (PSL), governador de Santa Catarina
  • Waldez Góes (PDT), governador do Amapá
  • Wellington Dias (PT), governador do Piauí
  • Marcos Rocha (PSL), governador de Rondônia
  • Antônio Denarium (sem partido), governador de Roraima
  • Daniela Reinehr (sem partido), vice-governadora de Santa Catarina
  • Wilson Witzel (PSC), ex-governador do Rio de Janeiro
  • Eduardo Pazuello (ex-ministro da Saúde)
  • Marcelo Queiroga (Ministro da Saúde)
  • Arthur Weintraub (ex-assessor da Presidência da República)
  • Filipe Martins (assessor da Presidência da República)
  • Carlos Wizard (empresário)
  • Paulo Baraúna (empresário)
  • Luana Araújo (ex-secretária do Ministério da Saúde)

O critério de escolha dos gestores estaduais foi definido pelos locais onde houve operações da Polícia Federal para investigar mau uso do dinheiro destinado ao combate à pandemia. O requerimento para chamar o atual governador do Rio, Cláudio Castro (PSC), foi retirado porque houve o entendimento de que a operação no Estado aconteceu ainda na gestão de Witzel.

A CPI aprovou também a reconvocação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e do ex-titular da pasta Eduardo Pazuello. Em dois dias de depoimento, o ex-ministro isentou Jair Bolsonaro de qualquer responsabilidade pela condução da pandemia e pediu desculpas por não ter usado máscara em um shopping de Manaus.

Dias depois, no entanto, ele participou de manifestação ao lado de Bolsonaro, sem máscara, o que motivou os senadores a quererem chamá-lo novamente. Já Queiroga, evitou falar sobre cloroquina para não se indispor com o presidente, mas defendeu a vacinação em seu depoimento.

A comissão aprovou também requerimento para convocar profissionais de Saúde que defendem e que não defendem o uso da hidroxicloroquina, medicamento sem eficácia comprovada para a covid-19.

 

Com informações https://www.poder360.com.br/

PUBLICIDADE